SAMSUNG TRAZ GALAXY CON PROYECTOR POR R$.999

São Paulo – O Galaxy Beam chega ao mercado brasileiro com uma missão bem definida: substituir um pico projetor e exibir apresentações de slides, fotos e até vídeos sem grandes problemas. O aparelho é o segundo da Samsung a trazer um projetor embutido. O primeiro deles, com um design nada funcional ou mesmo atraente, nunca foi lançado oficialmente no país. Por 999 reais, além de gerar uma tela de até 42 polegadas com certo conforto, o Beam é também um bom smartphone intermediário.

Equipado com Android 2.3 (Gingerbread) e a tradicional interface TouchWiz, esse aparelho impressionou o INFOlab com uma duração de bateria de 15 horas e 21 minutos fazendo uma ligação, com Wi-Fi e Bluetooth ativados. Com reprodução de vídeo, a bateria do Beam resistiu por mais de três horas, um tempo mais que suficiente para fazer uma apresentação, ou mostrar todas as fotos de uma viagem.

Construído totalmente em plástico, o Beam possui uma carcaça em plástico, com detalhe laranja nas laterais. Por abrigar o projetor em sua face superior, o aparelho é um pouco mais espesso que os concorrentes. São 1,4 cm de espessura, 12,4 cm de altura e 6,4 cm de largura. Se comparado a outros projetores de 15 lumens, esse smartphone é de fato bastante compacto. As laterais abrigam entradas para os cartões SIM e microSD. Há também um botão dedicado para ligar/desligar o projetor e alavanca para controle de volume. A tampa traseira serve exclusivamente à troca de bateria. Essa é uma característica importante, já que um palestrante normalmente gosta de estar prevenido e com uma fonte extra de energia.

Com tecnologia DLP, de propriedade da Texas Instruments, o pico projetor do Beam tem resolução de 640 por 360 pixels. Isso significa que um plano para substituir sua TV pelo smartphone não seria ideal. A falta de resolução da imagem pode desapontar os usuários mais aficionados por vídeos. Mas, para apresentações em PowerPoint, PDFs e outras demandas comuns ao ambiente corporativo, o resultado será positivo. Para trabalhar com documentos do Microsoft Office, a Samsung inclui uma versão completa do Polaris Office. Pelo app é possível criar e editar documentos do Office 2007 e 2010.

Para o uso doméstico, uma exibição de fotos em slideshow com direito a música pode ser criada em poucos cliques. Basta acessar o recurso “modo ambiente”, escolher a faixa desejada e controlar o tempo de transição dos slides.

O processador Cortex A9, com dois núcleos de 1 GHz, faz com que o Beam rode o Gingerbread sem grandes problemas. A memória interna de 8 GB também proporciona um uso confortável, já que, mesmo com a possibilidade de mover apps para o cartão microSD, há instalações pontuais que devem ser feitas no mesmo local do sistema. Alguns engasgos pontuais podem ocorrer com muitos aplicativos abertos, uma característica da memória RAM de 768 MB. Ainda assim, o Beam está à frente de outros aparelhos intermediários, como o Huawei Honor e o próprio Galaxy Ace.

A Samsung não deixou de incluir seu pacote tradicional de recursos, como o DLNA pelo aplicativo All-Share, o agregador de redes sociais, o Social Hub, e um gerenciador de arquivos eficiente. O Galaxy Beam também conta com um eficiente gerenciador de contatos, com miniatura para cada usuário, integração com redes sociais e discagem inteligente.

Deja un comentario